terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Espiando o vizinho pela janela

Neste final de semana, reparei que o novo vizinho do bloco ao lado, cujas janelas estão na reta das nossas, deve ser bem festeiro. Chegamos em casa no sábado à noite ouvindo um monte de gente conversando ao mesmo tempo, achei até que o barulho vinha de um restaurante próximo. Que nada, dali a pouco descobri que se tratava, provavelmente, de uma festinha, uma grande reunião de amigos ou algum evento do gênero no apartamento do rapaz em questão. No dia seguinte, ou melhor, na noite seguinte, reparei que o moço estava em sua área de serviço, de luzes apagadas, trabalhando em seu laptop. Flagrei seu momento coletivo do sábado e seu momento solitário do domingo.

O que será que ele faz da vida? Quem são seus amigos? De onde vem sua família? Curiosa, às vezes gosto de fazer exercícios de imaginação olhando as janelas vizinhas. Quando viajo, faço o mesmo: adoro olhar pela janela do ônibus ou do avião e imaginar que pessoas moram em certas casas e prédios. Matando o tempo, às vezes chego a criar pequenos e breves enredos para cada moradia.

É isso aí...uma janela pode se tornar bem mais que uma janela...

4 comentários:

Gisele Moura disse...

Eu faço algo parecido, fico do ônibus olhando dentro do carro das pessoas. Aqui, como não tenho carro, virou uma diversão no caminho para universidade em Viena. Eu comecei por que eu ficava olhando os fumantes e observando o lixão que o carro deles se tranforma com o cinzeiro cheio de pontas de cigarro! Eu eu fico pensando como deve ser ruim respirar nesse ar super poluido com sem poder abrir a janela no inverno. Tem gente que não está nem aí. Fuma com a janela fechada mesmo.Só louco... mas eu vou me divertindo e sofrendo!

Clara disse...

Achei que fosse só eu que ficava imaginando vidas ao observar pessoas! Costumo fazer isso no avião também e no ônibus. Às vezes me pego flagrando alguém, uma atitude... e imagino o que se passa na cabeaça daquela pessoa para ser/agir assim.

beijossss

Daniel Savio disse...

Mas isto é algo bom, pois em vez de receber a informação pronta, você faz o teu cerebro exercitar para criar a informação...

Fique com Deus, menina Sil.
Um abraço.

lilly disse...

é um bom exercicio este de criar estórias para quem nao conehcemos
mas as vezes as estórias sao bem diferentes do que imaginamos.
assistiu: COISAS QUE VOCE PODE DIZER SÓ DE OLHAR PARA ELA?
ASSISTA E ME DIGA
bj