terça-feira, 24 de maio de 2011

Minha gata resolveu praticar voo livre

É isso aí..em pleno e preguiçoso domingo à tarde estava higienizando as caixinhas de areia das gatas quando, de repente, ouço um miado em volume máximo, assustador, tenebroso, enlouquecido, vindo lá de baixo. Pensei que era alguém maltratando gato de rua, cheguei à janela para tentar ver algo e nada. Começo a estranhar, pois a voz felina em questão parecia ser a da MaluCat Valentina. Procuro-a freneticamente pelo apartamento e nada. Desço então disparadamente escadas abaixo e, quando saio da portaria, quem é que vejo andando desnorteada embaixo do bloco? A própria!

Pego MaluCat com jeito para não ficar mais assustada do que já estava, levo para dentro da portaria. Aparentemente, estava bem, parecia que só o susto de ter descido bruscamente da janela para o térreo lhe incomodava. Subiu os degraus para o segundo andar naturalmente. Chegando a seu lar, acomodou-se numa almofada em cima de um puf e dormiu por horas e horas para descansar do stress de uma experiência esportiva mal sucedida.

Eu bem a avisei que, para praticar a modalidade voo livre, faz-se necessário o uso de asa delta ou coisa parecida. Teimosa, não quis me ouvir e resolveu fazer a experiência sem a ferramenta necessária...Mas se os gatos não dispõe de asas, menos mal que têm seu dispositivo natural de "páraquedas" (ai, ai, uma palavra só ou duas?) ou, como dizia minha irmã caçula Ju quando criança: "o gato às vezes fica com a barriga magrinha e as costas gordas"...aliás, tive agora um insight: acho que eles ficam assim de vez em quando não só como defesa, mas também para não enferrujar seu "páraquedas". Em caso de necessidade extrema, ficam prontinhos para o uso.

Um comentário:

Higor disse...

Adorei! Abraços...