quinta-feira, 27 de maio de 2010

Reclamar não adianta? Esconde uma mini-câmera na roupa...

Esta semana estou resolvendo, ou tentando resolver, algumas burocracias (de novo!). Pra variar, o que me fez quase explodir hoje foi mais uma besteira das que alguns funcionários da Secretaria da Fazenda do Distrito Federal Agência 513 norte costumam fazer. Não vou contar aqui em detalhes o que houve para não matá-los de tédio, mas o resumo da história é a seguinte: colocaram, por engano, o débito referente a um imposto que minha mãe já havia pago, em meu processo. Quando fui investigar lá na Agência, o funcionário descobriu que era o imposto de uma outra pessoa, de outra família. Não era nosso. E, por conta disso, eu não conseguia pegar uma certidão para levar ao cartório. Pelo menos consertaram a questão hoje mesmo e eu pude pegar a certidão. Menos mal. Mas e o aborrecimento, a chatice? Tá, errar é humano. Mas errar demais é fogo, né...esse é o caso desse órgão público ao qual me referi. Num mesmo processo tive três problemas, todos eles causados por funcionários de lá. O pior é que não tem nem como reclamar com muita veemencia, pois não tenho provas em mãos. O jeito é comprar uma mini-câmera, dessas que dá pra esconder na roupa, e gravar todo e qualquer atendimento em órgão público (pensando bem, em muitas empresas privadas também...). Em caso de necessidade, é só anexar o vídeo junto a reclamação e pronto....

Digo isso porque já recorri duas vezes à ouvidoria me queixando de erros de funcionários daquela Secretaria mas as respostas que me vieram são ridículas. Típicas respostas nojentamente robotizadas, tiradas de manual. Ou então, aquela defesa do tipo "a funcionária informou que não deu nenhuma informação errada". Claro, né...como ninguém filmou seu atendimento, ela sabe que não há provas das burradas que fez...

Mas há outro ponto a ser considerado nessa questão: se a maioria das pessoas que passa por mal atendimento, seja em órgãos públicos ou em empresas privadas reclamasse nas ouvidorias, com certeza a postura dos funcionários seria outra. E não me venham com aquele pensamento derrotista lugar-comum que chega a me dar náuseas do tipo: "Mas não adianta nada...". Adianta sim, consegui várias coisas ao longo de minha vida reclamando, tá...inclusive uma questão super complicada, certa vez, numa Universidade Federal.

Quem nos dera se a maioria dos brasileiros tivesse o ânimo de reclamar das coisas que estão erradas como tem para assistir aos jogos da Copa do Mundo.......pronto, falei!!!

2 comentários:

Daniel Savio disse...

Não tem como gerar um número de protocolo e dele fazer uma reclamação com este dado?

Talvez não tenha devido ao serviço público, mas quem sabe...

Fique com Deus, menina Sil.
Um abraço.

Clara disse...

Verdade mesmo!! ÒO

Dá uma raiva de gente que só reclama e não faz p@rra nenhuma para resolver!!

Já foi ao procon duas vezes para resolver problemas com empresas de telefonia, já reclamei com gerente e lojo quando fui mal atendida. Felizmente nunca tive problemas com órgãos públicos, mas se tiver, farei o mesmo que você!

Revolução! /o/ Eu hein, a gente não tem que ficar aturando esse tipo de coisa né! Somos nós que estamos pagando para eles trabalharem! Então tem que trabalhar de forma decente!

Bjooooo, adorei como sempre!