quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Cigarras: a teimosia em cantar mesmo na boca da gata!



Depois do episódio da cigarra no liquidificador, falta contar do episódio (aliás, dos vários episódios) das cigarras na boca da gata.

Quase todo santo dia a MaluCat nos aparece correndo orgulhosamente com uma cigarra em sua boca. Outro dia, eu estava pedindo (ou melhor, tentando pedir) uma pizza pelo telefone quando escuto uma barulheira danada: a gata correndo com sua "pequena caça" e Humberto gritando com ela: " Larga a cigarra, MaluCat, larga!". Detalhe: a cigarra, durante essa curiosa cena, estava cantando. Meio desafinada, mas estava. A atendente da pizzaria, do outro lado da linha, deve ter achado, no mínimo, que esta é uma casa de doidos...

Humberto foi o herói da cigarra: ele pegou a gata e tirou o pequeno ser cantante de sua boca. Em seguida, a soltou pela janela. Espero que ela tenha sobrevivido, pois me parece que estava sem uma parte de sua asa. Admiro a insistência das cigarras, que ousam cantar até mesmo quando estão prestes a serem comidas...

Um comentário:

Ludmila disse...

ué... onde foram parar os comentários?