domingo, 1 de fevereiro de 2009

O que acham do "Projeto do palito de Pirulito" na Esplanada?


Vou aproveitar e jogar para vocês a questão que o Sérgio colocou num comentário de post esta semana: "O que acham do projeto de palito de pirulito que o Niemeyer quer jogar na esplanada? Precisa de mais concreto?"

Bom, acho que há tantas coisas muito mais importantes para resolver...eu deixaria essa história da Praça na Esplanada pra depois. Beeeem depois...ou então, não seria melhor dar uma incrementada na praça ou tentativa de praça do Complexo Cultural da República, que já existe? Acho que custaria bem menos e valorizaria ainda mais aquele espaço.
Quanto ao excesso de concreto, eu adoraria colocar alguns canteiros com flores no Complexo Cultural...se dependesse de mim, Brasília teria tantas flores pelas ruas, avenidas e monumentos, como tem árvores em suas superquadras.
E vocês, o que pensam sobre isso?


8 comentários:

RUI SAMARCOS LORA disse...

Acredito que a polêmica é válida. Gosto muito de Niemeyer e acho que fez muito por Brasília, mas o "obelisco" é meio exagerado e realmente tamparia a visão do inferno, digo, do Congresso. Não é uma má idéia tampar aquilo, sem dúvida alguma devemos ter vergonha de algumas coisas que se passa por lá. Entretanto, se formos analisar pela questão estética, do cartão postal da cidade, fica meio exagerado. Como a filha de Lúcio Costa, concordo que o monumento deve existir, mas não no local que querem colocar ele. Perto da minha casa tem um terreno baldio que ficaria maneiro colocar a praça! Não temos praça e seria legal ter uma obra de Niemeyer por perto, afinal, estou em Brasília, qualquer lugar que se coloque uma construção dessa, valoriza o imóvel!!! Meu voto é, construa, mas não onde está planejado. Mas antes da construção, peço que resolva outros problemas primeiro, como o atendimento em hospitais públicos, estacionamento e transporte em Brasília. Peço a gentileza de construir postos policiais e procurar mais segurança para os moradores, depois sim, podemos tomar um sorvete na praça e ficar olhando o obelísco.

Rose de Sampa disse...

Só to pensando na hora de molhar as tuas flores na época da seca... afinal aí é deserto, né?
Tem razão que flores fazem falta quando estão ausentes das paisagens.

Clébio disse...

Sil, quer mesmo saber minha opinião?

Minha opinião é a de que Niemeyer deveria ter percebido que tava na hora de se aposentar quando projetou a Rodoferroviária. E garanto que a maioria dos engenheiros torcem pos isso porque ô homem pra dar trabalho.

Chega de cimento nessa cidade, a área lá já tem o melhor que poderia ter: grama. Que o diga quem anda naquele complexo cultural, parece uma chapa de lanchonete aquele espaço, já tem até um ovo frito hehehe...

jica disse...

Bom , antes de mais nada seria legal
apresentar Niemeyer para pessoas ,
árvores , flôres , coisas vivas ,que são itens ignorados olimpicamente pelo
grande arquiteto em seus projetetos de linhas arrojadas ,
infantis (no bom sentido)etc...e tal mas que ... sempre funcionam no papel ...certo ? ao vivo é outra coisa.
O Memorial da America Latina em São Paulo é um mausoléu horroroso.
De esquerda , mas feio para caramba...
Já a Catedral de Brasilia é linda !
Jica

Humberto disse...

Adoro essas discussões filosóficas que não têm um lado "certo" e outro "errado"... É como discutir futebol, mulher e religião!

Para Niemeyer, a funcionalidade das obras é mero detalhe, o que interessa é o impacto visual da "obra", a arquitetura como arte. Como a idéia é fazer algo "marcante" para os 50 anos da cidade, talvez essa seja "a obra" para isso (ou não!)

Se precisamos realmente disso ou não, quem sabe? Nossa vida é multifacetada, precisamos matar a fome na África, mas precisamos também gastar milhões prá ficar mandando gente pro espaço, é da nossa natureza. Ter a capacidade de "tirar os pés do chão" é o que nos fez e faz evoluir.

Milhares de pessoas vão hoje a Paris para ver um troço que foi xingado, avacalhado e quase derrubado pelos franceses, e que não tinha praticamente nenhuma utilidade, que é a Torre Eiffel! O tempo passa e as coisas mudam, como prever o que vai acontecer com uma coisa dessas??! Vai que o velhinho é um visionário...

jica disse...

Pode ser que o velhinho seja visionário , mas tem um olho só.
|
Jica

Gisele Moura disse...

Engraçado que aqui na Europa do lado Áustria e Alemanha Niemeyer ficou pouco conhecido por ter se assumido comunista. E comunista aqui, engraçado, comia come e sempre vai comer criancinhas. Embora os pedófilos sejam de um outro partido já extido de direita. Como os tal maníaco de amstetem. Mas essa coisa de cidade monumento é tão estranha para nós brasilienses, até por que é muito concreto armado. Tanto quanto é para Viena. Onde tem muito concreto "decorado". Arquiteturas medievais renascentistas classista é lindo mas a cidade é pequena. E entulhada de prédios históricos. Aliás acho até que o ar aqui é histórico, mas usados para muita coisa. Até o prédio que moramos é histórico. Raro aqui é ver nada com menos de 100 anos. Com a energia da época circulante. É também problemático viver em cidade histórica por que se sua casa for tombada pelo patrimonio, e pasmem isso acontece a toda hora, você está no sal grosso com pimenta. Por que vc não vai poder reformar e sim restaurar a casinha e a troca desses dois verbinhos valem muitas cifras. E muita gente dando pitaco. Ah claro e quem quer comprar a casa patrimônio? Aqueles que querem o monumento no terreno baldio da entrequadra pense duas vezes. Pode ser um tiro no pé.

O problema do Niemeyer ao meu ver é essa coisa de ele não gostar de por florzinhas nos locais. Engraçado por que o partido comunista tem a flor no seu símbolo.Eu não sou arquiteta, e sim Designer, mas acho que uma florzinha atrai sempre um inseto uma abelha e etc. graminha pessoas semtam. Se a esplanada fosse Viena estaria cheia de gente pegando sol hehehe no verão outono primavera e inverno. E as mocinhas de calcinha e sutiã e os homens só de cueca. Além dos camelôs e as ambulantes vendedores de mate... Queia ver esse povo largatear e fazer fotossíntese no sol da esplanada. A graminha também atraí cães. Mas a esplanada se Brasilía fosse viena teria muita gente levando cachorro a noite para passear e fazer cocô por lá...Melhor o de cachorro do que de político. A gente só ia sujar o sapato. Ao invés de estar mergulhados nele.

A verdade é que depois que Burle Max abotoou o paletó, fechou a empresa e passou para o andar de cima, ninguém mais planejou a urbe com a paisagem vegetal. Muito pelo contrário, tiraram deixaram em lugares que torna carros em estacionamento regular nas quadras em vítimas do descuido das prefeituras de quadras e da defesa civil que não podava. E as chuvinhas de verão de Brasília sempre dando prejuízo ao um contribuinte ou outro. Pense... A não ser o Roriz. Mas essa é outra história.
Mas Niemeyer e assim faraônico com um pé no antigo Egito e antiga grécia. Vivam o mármore e o concreto! Mas eu fico querendo ver a praça do "pirulito" esquisitíssimo próxima a rodoviária de Brasilia. E quem vai usar? Por que praça é para gente passar. E vamos falar a verdade que ali não tem nem ponto de ônibus quem dirá estacionamento. O futuro é um dia a gente acordar e estar pixado como muito ministério. Eu abro um concurso para a escolha de lugares. Acho que aposentar Niemeyer eu o respeito muito mas que é estranho é.
Ihhh vou apreveitar o comentário e fazer um post lá no blog hehehehe
beijos Sil. E eu vim falar do piso do seu banheiro. Não resiti...

jica disse...

Delicioso o texto da Gisele ,
delicioso !
jica